A BNCC e o trabalho com números nas séries iniciais

Maria Ester Rechi

Mestranda em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FE-USP): Educação Científica, Matemática e Tecnológica. Graduada em Pedagogia pelo Instituto Vera Cruz. Professora de Ensino Fundamental I, membro do GEPEME – Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática e Educação, na USP – Universidade de São Paulo, revisora de material didático de Matemática para o Ensino Fundamental I para adequação junto à BNCC.

Resolver problemas que envolvam números é central no ensino e aprendizagem da matemática.

A BNCC propõe que o trabalho com números nas séries iniciais do Ensino Fundamental possa desenvolver o pensamento matemático, por meio da quantificação de objetos, julgando e interpretando argumentos baseados em quantidades. No processo de construção do conceito de números na escola, espera-se que as crianças desenvolvam, entre outras ideias, a de aproximação, proporcionalidade, equivalência e ordem.

Resolver problema é central no ensino e aprendizagem da matemática e, considerando isso, a BNCC entende que nas séries iniciais os estudantes precisam saber resolver problemas com números naturais e com números racionais, cuja representação decimal é finita. Saber escolher qual operação usar para resolver o que está sendo pedido no enunciado do problema, argumentar e justificar suas escolhas e saber antecipar, controlando os possíveis resultados, são habilidades que o estudante deverá desenvolver por meio de situações propostas pela escola.

Para que o trabalho com a resolução de problemas seja potente, é preciso que o professor organize bem as sequências didáticas, rompa com o conceito do “mais simples para o mais complexo” e passe a considerar as relações entre os conceitos matemáticos. Além disso, é preciso levar em conta:

  • diferentes graus de desafios;
  • diferentes tipos de problemas;
  • diferentes contextos para trabalho (medidas, sistema monetário, números naturais, decimais, fração…);
  • diferentes estratégias de resolução.

Em relação ao cálculo, espera-se que as crianças possam desenvolver diferentes estratégias para a obtenção dos resultados que busca por meio de estimativa, cálculo algorítmico e mental e também com o uso da calculadora. Usar a calculadora em sala de aula muitas vezes é um desafio para os professores. Mas, é preciso considerar que se por um lado ela é uma ferramenta socialmente difundida e usada em diferentes situações do cotidiano, o seu uso durante as aulas de matemática permitirá aos estudantes explorarem propriedades do sistema para:

  • buscar e encontrar uma regularidade;
  • acelerar um procedimento;
  • validar um procedimento;
  • verificar de maneira imediata;
  • iniciar uma operação que permita fazer uma análise a respeito das relações internas entre os diferentes números.

O trabalho com números nas séries iniciais do Ensino Fundamental pretende desenvolver habilidades de leitura, escrita e ordenação de números naturais. No trabalho com os números racionais espera-se que os estudantes identifiquem e compreendam o sistema de numeração decimal, considerem o valor posicional dos números e que usem os números decimais em situações em que o número natural é insuficiente.

O trabalho com números precisa estar articulado com as demais unidades temáticas e assim orientar a formulação de habilidades e competências propostos pela BNCC. Portanto, é necessário que o professor tenha curiosidade em conhecer todas as unidades temáticas, que se estabeleça um trabalho em rede na escola com os professores das séries anteriores e posteriores, que se conheça as idéias das crianças para poder entendê-las e assim, elaborar e propor situações didáticas em que se apresente situações desafiadoras que as façam avançar. Enfim, é preciso conhecer além dos documentos oficiais que norteiam a educação do nosso país, os estudantes, suas ideias e hipóteses para intervir didaticamente e, de fato, ajudá-los a construir um conhecimento matemático significativo.

 

Deixe uma resposta