Projeto Integrador – 1º Ano – Um pé de quê? Árvores do entorno da escola

O projeto Um pé de quê? foi elaborado com o objetivo de possibilitar as crianças conhecerem as árvores
do entorno da escola e assim estabelecer novos vínculos com o lugar em que estão inseridas, bem como a percepção desse ambiente e cuidado.
Elas irão listar as árvores que conhecem e fazer uma entrevista para descobrir mais a respeito das árvores do entorno da escola. Para saber mais sobre as árvores, realizarão, ainda, um trabalho de investigação de campo onde farão desenho de observação, coleta de folhas, galhos e gravetos dessas árvores e pesquisarão sobre os tipos de árvores e suas características.
O projeto articula-se principalmente com Língua Portuguesa, desenvolvendo habilidades de leitura, escrita e procedimentos para tornar-se um bom estudante.
É importante ressaltar que nos anos iniciais as atividades buscam apoiar a aquisição do sistema de escrita alfabética, onde as crianças são expostas a situações de leitura e produção, mesmo antes de dominar tais habilidades. Isso porque as crianças lançam mão de conhecimentos prévios sobre o assunto e carregam um repertório de conhecimentos que permitem trabalhar estratégias de leitura e escrita. O desenvolvimento da oralidade também é estimulado em situação de troca de informações, fazer perguntas pertinentes na entrevista etc.
Como produto final do projeto teremos uma exposição de artes e a produção de um folheto, em que mostrarão as descobertas e os trabalhos produzidos durante o projeto.
A proposta deste projeto é favorecer o envolvimento dos professores, dos alunos e da comunidade, na construção de um empreendimento coletivo. Ele propicia o trabalho com conteúdos que envolvem conceitos, atitudes, valores e procedimentos, favorecendo o desenvolvimento de capacidades física, ética, estética, afetiva, intelectual, de relação e inserção social. Permite dispor do tempo didático de maneira flexível e previamente estabelecida; implica em tarefas coletivas compostas de diversas subtarefas; exige planejamento, divisão de trabalho e de responsabilidades, construção de conhecimentos específicos, uso de recursos tecnológicos, trabalho em grupo e avaliação de resultados em função do plano inicialmente traçado.
Os lugares têm características próprias que os torna únicos, por isso observar o entorno da escola é uma tarefa que possibilita aos alunos reconhecerem que esse espaço se revela enquanto intervenção humana e como ação da natureza. Assim, o projeto proporciona o conhecimento da flora que cerca a escola, estabelecendo um vínculo de valorização e cuidado das árvores do entorno.

 

Projeto Integrador – 2º Ano – Trançados indígenas

A arte indígena, especificamente os trançados, representa uma grande oportunidade de explorar conceitos e relações geométricas, pois nessa manifestação artística é possível identificar figuras planas e desenhos com padrões e simetrias. Para o 2 o ano, espera-se que os alunos tenham diferentes vivências que impliquem tanto a observação e a análise de manifestações artísticas quanto tenham um fazer artístico. Espera-se também que todo esse percurso seja contextualizado para que possam reconhecer a cultura indígena como parte da identidade da sociedade em que vive, o povo brasileiro, e, desse modo, respeitá-la
e valorizá-la.

Neste projeto, os alunos irão construir um pequeno cesto a partir do estudo das figuras geométricas planas e dos trançados indígenas de diferentes povos e em diversos suportes, como em esteiras e cestarias.
Ao final, os objetos confeccionados serão apresentados à comunidade escolar e/ou aos familiares e, posteriormente, poderão ser levados para casa.

Projeto Integrador – 5º Ano – RPG de Super-Heróis

O projeto visa à produção, pelos estudantes, de um Jogo de Interpretação (RPG: Role Playing Game). Essa atividade trabalhará a capacidade narrativa oral, explorando a criatividade dos alunos, na criação de narrativas ficcionais compartilhadas e de forma que observem elementos como enredo, personagens, tempo e espaço atreladas às regras preestabelecidas de um jogo.
A interação oral, ao mesmo tempo criativa e regrada, proporcionará oportunidades peculiares de convivência entre os estudantes em um ambiente de cooperação e respeito. Neste ambiente lúdico, a sorte nos dados é um elemento fundamental que pode alterar radicalmente o destino das narrativas, fazendo com que os alunos se familiarizem com o cálculo de probabilidades.
O projeto compõe-se de duas fases distintas:
1. A preparação das regras e elaboração das fichas e planilhas do jogo.
2. O jogo de RPG criando a narrativa a partir das regras preestabelecidas.

O TRABALHO COM PROJETOS NA EDUCAÇÃO BÁSICA

No mundo atual, é cada vez mais relevante a qualidade do desenvolvimento educacional que se dá na etapa da Educação Básica, onde podemos contribuir com a formação de indivíduos mais preparados para uma futura inserção no mundo do trabalho e no contexto social, que incorporem conhecimento e valores que qualificam as relações interpessoais e as decisões que impactam a vida em sociedade.

Considerando essa perspectiva, a escola tem inúmeras opções metodológicas para a promoção de um processo educacional que considere o educando como indivíduo capaz de ser agente de seu próprio aprendizado. Essas práticas pedagógicas apontam para novas abordagens que ultrapassam a simples aquisição do conhecimento formal, percorrendo, também, as amplas avenidas de desenvolvimento de valores éticos como respeito à diversidade, responsabilidade, preocupação com a sustentabilidade, autonomia, cooperação, entre outros.

Entre as diversas práticas pedagógicas que a escola pode assumir nas diferentes situações de ensino e aprendizagem, o trabalho com projetos é um instrumento muito importante para esta construção significativa e compartilhada do conhecimento, que dá ao ambiente escolar o dinamismo necessário ao processo de construção deste conhecimento, permitindo situações prazerosas e significativas para alunos e professores.

Trabalhar com projetos possibilita:

  • Envolvimento dos alunos na apropriação de conhecimento através da condução do seu próprio processo de aprendizagem;
  • Estímulo ao desenvolvimento de uma autoimagem positiva do educando;
  • O desenvolvimento da capacidade de buscar e interpretar informações;
  • O desenvolvimento de atitudes cooperativas;
  • Metodologia de ensino baseada na interdisciplinaridade.

Existem formas diversas de se organizar um projeto a ser aplicado ao desenvolvimento de um tema, mas todas se estruturam em torno dos seguintes itens:

  • Introdução e justificativa
    Fundamentação das razões que levam ao desenvolvimento do tema.
  • Duração do projeto
    Dimensionamento da duração do projeto em termos de tempo, etapas, aulas etc
  • Produto final
    Descrição do produto final a ser elaborado pelos grupos de alunos que participam do projeto, como, por exemplo, seminários, feiras, textos, cartazes, vídeos e apresentações artísticas.
  • Desenvolvimento
    Detalhamento de cada uma das etapas que compõem o projeto, com apresentação de materiais a serem utilizados, pesquisas a serem realizadas, atividades e grupos de discussão, referências, links e perguntas desafiadoras.
  • Avaliação do projeto
    Ainda que a avaliação deva ser contínua, ao elaborarmos o projeto, é necessário especificar os principais itens de avaliação que se relacionam com o tema. Nesse sentido, um bom repertório de itens de avaliação pode ser obtido nas habilidades propostas pela BNCC para os componentes curriculares discutidos e para o ano do Ensino Fundamental onde o projeto será aplicado.

Conheça alguns projetos didáticos clicando no menu Ensino Fundamental I, e escolhendo a opção Projetos.